• Paramount-Office-Space_Elan-Construct_American-cherry-(5)_carousel.jpg
  • Paramount-Office-Space_Elan-Construct_American-cherry-(3)_carousel.jpg

Paramount Office Space

A Austrália tem mais espaços de co-trabalho per capita que qualquer outro país no mundo.  Consequentemente, é natural que seja também a casa para um dos espaços de escritórios compartilhados mais sofisticados no mundo.  

Situado na emblemática Paramount House no centro de Surry Hills, em Sidney, Woods Bagot e Elan Construct criaram uma experiência de co-trabalho que combina perfeitamente a funcionalidade, a estética e o luxo. Paramount by The Office Space é composto por 22 suites de escritórios privados, uma sala de reunião e uma sala de reunião do conselho, zona de cozinha e um impressionante balcão em latão. Neste espaço, peças de design dos anos 50 de Walter Knoll e Molteni&C e o mobiliário feito sob medida combinam perfeitamente com os requisitos tecnológicos de um negócio contemporâneo.  O resultado é uma sensação de luxo, conforto e hospitalidade sofisticada dentro de um ambiente de escritório moderno.   

O património arquitetónico do edifício estabeleceu a geometria que viria a ser utilizada para o design de interiores.  Contudo, a elegância e a execução magistral do design são atribuíveis principalmente ao reconhecimento e à celebração do elemento distintivamente encurvado de Art Deco, que caracteriza o edifício Paramount.  Os materiais naturais incluem o calcário, o couro e o mármore que combinam com os acessórios de latão brunido para contribuir para o glamour de alta qualidade que emana do uso extensivo da madeira maciça e dos folheados de cerejeira preta americana em todo o espaço.  

“A forma típica do edifício está representada nas suites de escritório, que, construídas artesanalmente de madeira, apresentam um encurvamento suave que envolve o contorno da placa de assoalho.  Um teto de madeira e latão, complexo e tridimensional, une os elementos individuais no escritório, criando uma aparência atrativa tanto visto desde a rua como do interior do edifício”, salienta Domenic Alvaro, diretor de Woods Bagot.   

CEREJEIRA PRETA AMERICANA LUXUOSA

As suites de escritórios suavemente encurvadas foram criadas a partir de cerejeira preta americana.  Todd Hammond, Chefe de Interiores de Woods Bagot explica que a intenção era criar um espaço “aparentemente construído de madeira de modo a reconstruir uma estética antiga com uma apresentação contemporânea”.  

Hammond confessa o seu “amor” pela cerejeira americana, uma espécie que, segundo ele, constitui uma alternativa à tendência onipresente na Austrália para madeiras loiras, mas sem a formalidade da nogueira mais escura.  “Penso que a cerejeira se encontra algures no meio; não apenas em termos de tonalidades, mas também pelo seu nível de profissionalismo, que pode ser utilizado de uma forma informal”.  Na verdade, enquanto a nogueira foi considerada pela sua sensação de luxo, pensou-se que a tonalidade mais escura daria a sensação que os escritórios mais pequenos fossem ainda mais pequenos. Por outro lado, a cerejeira americana oferece um tom dourado de mel que complementaria a madeira de ácer de Queensland que adorna a entrada do espaço.   

Inspirado pelo uso da cerejeira americana por artesãos japoneses e arquitetos dos anos 50 como Frank Lloyd Wright, Hammond está convicto que a madeira “tem uma vida própria visto que é uma madeira que evolve, que atravessa fases durante a sua vida, começando por um aspeto fresco e quase juvenil, e que vai envelhecendo com o tempo.  Também tem uma boa fibra figurativa e tons que variam desde o rosa pálido e cremes até aos profundos tons de dourado de mel”. O envelhecimento da madeira resulta no escurecimento natural da mesma, o que apresenta uma dimensão de luxo ainda mais marcada e foi esta particularidade que convenceu a equipa de Woods Bagot a não aplicar uma camada protetora de UV à madeira.  

CRIADOR, CLIENTE E PERFECIONISTA

Paramount by The Office Space é propriedade do Diretor de Elan Construct, Boris Tosic.  Bem conhecido entre a elite de arquitetura e design de Sidney, a equipa de Woods Bagot e Tosic tiveram a vantagem de um respeito mútuo existente e uma visão compartilhada para o projeto.  

“Elan Construct é flexível e pode adaptar e interpretar esboços arquitetónicos, o que significa que podem construir a partir de designs muito simples de planos de desenho,” diz Hammond.   A equipa de Woods Bagot menciona a “criatividade excecional; os resultados interessantes e as soluções funcionais” que Tosic trouxe ao projeto.  

Para Tosic, tanto na qualidade de proprietário do projeto como empreiteiro, este era um projeto profundamente pessoal e um onde procurava testar as suas capacidades como também as da sua equipa.  “Sou obcecado com os detalhes e não estabeleço limites às minhas obras, que eu pretendo que sejam tão belas quanto possível,” confessa Tosic sobre as suas obras.  A sua busca da perfeição é aparente por todo o The Office Space.   Elan é conhecida pelas abordagens inovadoras utilizadas em conjunto com técnicas de marcenaria artesanal.  A combinação entre a tecnologia CNC (controlo numérico computorizado), a marcenaria feita sob medida e as técnicas de construção naval, além de um acabamento à mão, foram utilizadas para alcançar um nível elevado de detalhe que não seria possível se apenas uma única técnica tivesse sido empregada.  

As portas das suites dos escritórios foram criadas com a técnica caixa e espiga, utilizada durante séculos para conseguir um acabamento forte, mas continuo. A madeira de 45mm de espessura foi cortada, lixada e oleada à mão e as incrustações de vidro otimizam o fluxo de luz natural nos espaços de trabalho.   

A construção incluiu 600 metros quadrados de folheado de cerejeira americana colados à mão, desajustados e girados.  A qualidade de acabamento e a atenção aos detalhes é onipresente.  Até ao ponto que a estrutura interna dos armários de cozinha apresenta detalhes de cerejeira e latão. 

Ao contrario da maioria dos projetos desta natureza que começam desde o teto para baixo, Tosic optou por abordar esta construção como um exercício de marcenaria, o que significou a resolução do design e a criação da maior parte das estruturas no workshop da própria Elan.  Nivelámos o soalho e organizámos cada milímetro do local com estênceis de madeira e diferentes elevações para revelar onde as suites iriam se situar.  As suites encurvadas foram construídas completamente à mão no nosso workshop antes de serem transportadas e instaladas.  É essencialmente um puzzle gigante 3D que se fixa sobre si mesmo”.  

Roderick Wiles, Diretor do Conselho de Exportação de Madeiras de Folhosas Americanas na Oceânia, afirma: “Ficamos realmente encantados quando vemos madeiras de folhosas americanas a serem escolhidas para designs de classe mundial como este.  É particularmente emocionante quando um arquiteto ou um cliente partilham a mesma paixão para ir além das escolhas convencionais e alcançar resultados tão brilhantes.  A cerejeira americana é cada vez mais popular por todo o mundo e projetos como o Paramount by The Office Space são os que definitivamente lideram o caminho do seu ressurgimento”. 

Tosic e Woods Bagot afirmam estar profundamente satisfeitos com o resultado.  Paramount é uma demonstração do que pode ser alcançado quando a visão da equipa de design é combinada com a paixão e perfeccionismo do criador, e neste caso o proprietário.  Para Tosic, Paramount é realmente um cartão de visita muito poderoso.  

Arquiteto: Woods Bagot
Espécie de madeira: Cerejeira americana
Fotografia: Trevor Mein