Exceções regionais às normas de classificação da NHLA.

As classificações da NHLA cobrem a maioria das espécies comerciais de madeira de folhosas que crescem nos Estados Unidos.  O seguinte é um breve resumo das várias espécies e a seleção de cores que podem ser solicitadas aos fornecedores americanos.
 

AMIEIRO VERMELHO

Cresce exclusivamente no Noroeste do Pacífico entre grandes extensões de madeira resinosa como a Douglásia (“Douglas fir”) e pinheiros, e é a madeira de folhosas comercial mais importante desta região.   As normas de classificação para o amieiro vermelho estão orientadas para a aparência e aplicações finais mais especificas.  O amieiro é classificado utilizando as Normas para o Amieiro Vermelho da Costa do Pacífico, da NHLA, publicadas nas Normas para a Medição e Inspeção de Madeira de Folhosas e Cipreste (“Rules for the Measurement & Inspection of Hardwood and Cypress”), da NHLA.  As normas foram desenvolvidas na costa oeste dos Estados Unidos com esses fabricantes e exportadores em mente.

Os elementos chave de classificação incluem a classificação a partir da melhor face em vez da pior face, como referido nas Normas de Classificação da NHLA; nós olhos de perdiz são vistos como uma característica e não um defeito.  Os graus de qualidade principais incluem Superior (Select & Better), Cabinet (Nº 1 Common) e Frame (Nº 2  Common) que são semelhantes ao usos de acordo com as classificações padrão da NHLA.

Uma madeira excecional para armários, tipicamente, vendida aplainada e frequentemente cortada em medidas especificas de comprimento e largura.  Consulte o seu fornecedor local para uma explicação mais detalhada sobre a classificação do amieiro e produtos disponíveis.

NOGUEIRA

Considerada como a elite de madeira de folhosas americana, a nogueira é a preferida das madeiras mais escuras para móveis refinados, interiores e coronhas de armas.  A nogueira cresce em áreas bastante diversas por todo o Este dos Estados Unidos, principalmente na região Meio-Oeste.  Historicamente, as normas de classificação para a nogueira com um grau de qualidade FAS têm vindo a ser aperfeiçoadas de modo a encorajar um melhor uso desta valiosa espécie.  Por esta razão, a nogueira com um grau de qualidade FAS permitem tábuas mais pequenas, em termos de largura assim como em comprimento.  Características naturais também são permitidas com uma maior tolerância do que as especificadas nas normas de classificação da NHLA para outras espécies.  Uma explicação detalhada pode ser encontrada no manual de normas da NHLA.  Consulte o seu fornecedor local sobre a classificação de nogueiras e produtos disponíveis.

Seleção por cores

Além da seleção por classificações ou por larguras especificas, várias espécies são comercialmente vendidas com um valor acrescentado quando a cor é considerada.  É importante salientar que nesta explicação, cor refere ao borne e ao cerne.

NÚMERO 1 E 2 BRANCO

Uma seleção de cor tipicamente feita em ácer duro, mas que também é aplicável a qualquer espécie como por exemplo o freixo, bétula, e ácer macio, quando peças de borne sem defeitos sejam desejadas.

Número 1 branco significa que ambas as faces e ambos cantos devem ser compostas por borne.

Número 2 branco significa que uma face e ambos cantos devem ser compostos por borne e na outra face não pode conter menos de 50% de borne.

BORNE E MELHOR

Esta denominação comercial significa que apenas uma face da tábua necessita ser borne.  Frequentemente aplicada às mesmas espécies que as Número 1 e 2 branco, embora de forma um pouco menos rigorosa.  No Borne e melhor todas as tábuas devem ter no mínimo uma face de borne.

FACE VERMELHA E MELHOR

Esta denominação comercial significa que no mínimo uma das faces da tábua necessita ser composta de cerne. Frequentemente aplicada a espécies como a cerejeira, carvalho, nogueira, liquidâmbar e em certas aplicações até bétula e ácer.  O que o produtor espera deste tipo de especificação é que todas as peças sem defeitos tenham no mínimo uma face composta de cerne.

Os produtores americanos têm uma ampla gama de de opções adicionais na hora da classificação e seleção de comprimentos e larguras especificas e até padrões dos fios.  Se isto puder ser acordado individualmente entre produtores e compradores, então poderá ser vantajoso modificar as classificações mencionadas neste guia.  Isto poderia também ajudar no melhoramento do rendimento de cada tronco e, assim, contribuindo para a sustentabilidade da floresta.  Por outro lado, também poderia reduzir o custo para ambas as partes ou aumentar o valor da encomenda. 

Definição de um corte são

Um corte sem podridão, medula, fenda e descaio.  A textura não é considerada.  Este tipo de corte aceita nós sãos, bicadas de pássaros, manchas, veios ou o equivalente, fendas que não comprometam substancialmente a resistência de um corte e galerias de larvas, de insetos xilófagos.  Outros orifícios de 1/4” ou maiores são aceites, mas devem ser limitados de acordo com o seguinte: um com uma média de 1/4” de diâmetro em cada corte de menos 12 unidades; dois orifícios de 1/4” ou um orifício de 1/2” em cada 12 unidades e somente numa face do corte. 

Passos para determinar a classificação

  1. Determinar a espécie.
  2. Calcular a Medida de Superfície (SM).
  3. Determinar a pior face da tábua.
  4. Calcular a percentagem de madeira sem defeitos disponível desta pior face.  Nota: Se a pior face obtiver um grau de qualidade Número 1 Common, verifique se a melhor face irá obter um grau de qualidade FAS de modo a adquirir uma classificação F1F ou Selects.
  5. Depois de determinar a classificação, verifique se existe alguma característica especial como por exemplo cortes de borne ou cerne de modo a realizar uma seleção especial por cor.
  6. Dividir em feixes de acordo com as especificações acordadas entre o comprador e o vendedor.

Resumo das classificações de madeira serrada de folhosas americanas

  FAS FAS 1 FACE SELECTS No 1 Common No 2A & 2B COMMON

Tamanho Mínimo da Tábua

6”x8’

Igual à classificação FAS para espécies sujeitas a  classificação 

4”x6’ 3”x4’ 3”x4’

Tamanho Mínimo de Corte

4”x5’
3”x7’

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

4”x2’
3”x3’
3”x2’
Minimum
Yield
Surface measure x10
83%

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

Medida de superfície x8

66%

Medida de superfície x6

50%
Formula to determine
Number of
Clear Cuttings
Surface measure 4

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

A melhor face da tábua deve ter uma classificação FAS

A pior face da tábua deve ter uma classificação Nº 1 Common

Medida de superfície +1

3

Medida de superfície 2

Notas:

  • Este quadro resume os principais requisitos das normas de classificação. Para obter a informação completa, consulte a secção adequada do Livro de Normas da NHLA (“NHLA Rule Book”).
  • Para madeira serrada secada em estufa, uma contração de 12” é permitida à tábua de tamanho mínimo em cada classificação.
  • O grau de qualidade Nº 2A Common requer cortes sem defeitos.
  • O grau de qualidade Nº 2B Common é uma classificação de utilidade que requer que os seus cortes sejam sãos.